domingo, 28 de junho de 2015

O sol que brilha em mim


Chove lá fora...
Vejo a água encharcar o chão
Mas dentro de mim brilha
O sol, com intensidade
E sinto irradiar do coração
Uma imensa felicidade!

Chove lá fora...
Dando vida à plantação
Chuva que fertiliza a terra
Abastece as nascentes
Mas em meu peito dá vazão
A esse amor ardente!

- Se lá fora é inverno...
  dentro de mim é verão!

Nádia Santos
25/06//15

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Não é amor

Nenhuma criatura deveria viver
Sem ter na vida uma doce amor...
Porém ninguém merece sofrer
Por sentimento que só causa dor

Não é amor... claro que não!
Amor verdadeiro não faz sofrer
Não desdenha nem promete em vão
Trás muitas alegrias ao nosso viver

Estou sempre dizendo ao coração:
Seja prudente, escuta apenas a razão
Não ouça à paixão que é loucura!

Teimoso, não escuta meu recado
Entrega-se perdidamente apaixonado
E no final, chora  a própria desventura.

Nádia Santos
*Peço desculpa aos amigos pela ausência
mas costumo atender e ouvir meu corpo
e esse não anda com vontade de andar por
esse mundo virtual. Deve ser uma fase e
espero que passe... ou não. 
Beijos doces em vocês.




domingo, 7 de junho de 2015

Sorte mesquinha



Como um grande salão frio
Banhando pela melancolia
Ficou meu coração vazio
Sem o sentimento que nutria

Estampada na parede fria
Ainda vejo tua imagem
Com teu sorriso de alegria
Já pra mim uma miragem...

Nada que sonhei me foi dado...
E nesses meus dias frustrados
Só o que não queria, ganhei...

É para mim a sorte mesquinha
Que não escuta a prece minha
De querer ter quem tanto desejei.

Nádia Santos
06/06/15

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Malquerer


Será que de mim fugiu o amor?
Partiu assim, sorrateiramente!
Deixando apenas no lugar a dor
Que meu peito machuca insistente...

Desilusão, porque surges disfarçada
Vestida de amor, me enganando?
E eu, tão sonhadora e apaixonada
Vou, verdadeira, me entregando...

Mas a mentira surge lentamente
Sentimento não dá para esconder
Mais uma vez vai o coração padecer

E seus sonhos morrem de repente
Outra vez se perdem em malquerer
Por mais uma ilusão que o faz sofrer.

Nádia Santos

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Superação

Tornei-me uma profissional
Experiente e caprichosa
(coisas que a vida me impõe,
Ou será que atraio?) na arte
De juntar os pedaços desse coração
Tão delicado como o cristal, 
Mas forte como o aço,
Que tantos se aproximam
Apenas para jogá-lo no chão
Deixando-o em vários pedaços
Sem nenhuma compaixão...
Mas ele é teimoso e ao poucos
Se regenera... Logo, logo fica
Novo e para amar, novamente,
Ele se supera e... espera.

Nádia Santos