sábado, 26 de abril de 2014

Teu gosto


Hoje acordei tão cheia de saudade
Repleta de desejo e de muito querer
Louca para saciar essa minha vontade
De acariciá-lo inteiro e te dá prazer

De poder saborear e sentir teu gosto
Tu que és minha deliciosa ambrosia
Olhar bem teus olhos e ver no rosto
Tua expressão de completa alegria

Tocar maliciosamente cada parte tua
Sentir a vibração de cada recanto teu
Sentir a tua pele máscula, quente e nua
E vê-lo assim, tão entregue e tão meu.

Nádia Santos
26/04/14


quarta-feira, 23 de abril de 2014

A procura de ti


Aqui, sozinha
Com o pensamento
Perdido, solto
Nas divagações minhas
Tua imagem surgiu
Assim, de repente
Como uma doce luz
E carinhosamente
Minha mente invadiu...
Com um jeito cativante
Adorável, encantador
Faz-me esquecer o tempo e
É maravilhoso cada instante...
Queria que estivesse
Agora... aqui...
E que não partisse...
Mas quem partiu
Foi meu pensamento
Que saiu como um louco
A procura de ti...

Nádia Santos


segunda-feira, 21 de abril de 2014

Cruel destino


Nesses dias, a solidão interesseira
Tenta, insistente, se abraçar comigo
Chegando carinhosa e sorrateira
Oferecendo-me conforto e abrigo

Frágil, sem ter tua ardente presença
Nem teu corpo quente para me aquecer
Sinto-me condenada a essa sentença
E vou agarrando-me à ela sem te ter...

Penso ser esse o cruel destino meu...
Amar demais e viver nessa solidão
Sem ter os beijos e os carinhos teu

Peço a tristeza para apartar-se de mim
Para deixe em paz meu pobre coração
Que já está acostumada a viver assim...

Nádia Santos
21/04/14


domingo, 20 de abril de 2014

Meu presente


Fico olhando o céu,
As estrelas, a lua e amo tudo
Mesmo assim tão distante...
Momento em que
Penso em ti, meu amor...
Quando um dia deixaste
De brilhar no meu céu...
Deixaste de estar longe de mim...
Deixaste de ser apenas
Um sonho... uma fantasia
Tornando-se parte viva
E presente de minha realidade
Transformando tudo em alegria!

Nádia Santos
19/04/14

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Não vale a pena entristecer


A vida não é um mar de rosas
É verdade e todos nós sabemos
E que nem sempre as pessoas
Nos tratarão como nós queremos

Nem sempre devolverão com amor
O amor que com carinho oferecemos
E que ingratidão, desprezo e desdém
Em nossa caminhada encontraremos

Nosso coração será muito desprezado
Será brinquedo para uns desalmados
Que não se amam e nem sabem amar...

Aprendi que não vale a pena entristecer
Por quem não nos ama e nos faz sofrer
E que insistir é a si mesmo magoar.

Nádia Santos
15/04/14

terça-feira, 15 de abril de 2014

No céu brilhava o luar...


Pediste-me para ir olhar a lua
Disseste que ela era para mim
Corri e fui depressa até a rua
Ela irradiava beleza sem fim!

Ela estava lindamente dourada
Tão repleta de encanto e magia
E eu por ti louca e apaixonada
Tu és a razão de minha alegria

No céu brilhava o luar de novo
Eu na face trazia um sorriso bobo
E desejei me perder no teu olhar...

Quis mergulhar nesse louco desejo
Afogar-me profundo no teu beijo
De corpo e alma toda me entregar.

Nádia Santos
14/04/14


domingo, 13 de abril de 2014

Abraço-me ao tempo...


Numa espera angustiante mais ao mesmo tempo alegre
Por saber que virás meu corpo num silêncio gritante,
Com o sangue a ferver nas veias, com minhas mãos
Por vezes nervosas, sentindo falta dos passeios ardentes
Que fazem no teu corpo... contam as horas!
Abraço-me ao tempo suplicando que adiante
Os ponteiros dos relógios, para te encontrar meu amor!
Espero-te minha paixão para matar essa saudade
De tua boca em minha pele, de tua língua desenvolta
E tão ardente, acariciando meu corpo que deseja
Loucamente, intensamente se enroscar no teu...
Esquecidos de tudo, ouvindo a melodia que nosso amor
Produz, com nossos ais, nossos sussurros, nossos gemidos
E com o perfume exalado desse amor que nos seduz!
Vem meu amor... Que essa paixão, esse desejo que 
Toma conta de nós, aguardam o momento de morrer...
Tu em mim, eu em ti ardentes... Para depois renascermos 
Revigorados e alimentarmos, mais uma vez, esse 
Sentimento que nos devora loucamente.

Nádia Santos
12/04/14

sábado, 12 de abril de 2014

Necessito do teu corpo...


O que faço com essa saudade?
O que faço com esse desejo
Que grita em meu corpo?
E com essa vontade de ti
Que me agonia aos poucos?
Minha pele sente frio
Necessita do teu corpo, seu cobertor
Desejando teus beijos ardentes
E teus braços quentes, meu amor...
Fico aqui a esperar... ansiosa
Que tu voltes para mim
E quando retornares 
Hás de me encontrar voluptuosa
E louca para entregar-me a ti!

Nádia Santos
12/04/14

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Contos e poesias

Meu blog *de conteúdo sensual/erótico
http://soltandoamente.blogspot.com.br/2014/04/da-me-tua-boca.html

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Quero amar-te


Quero amar-te ardentemente
Com a certeza do agora
Sem pensar no amanhã
Prender entre nós a hora

Quero amar-te doidamente
Sem a incerteza do futuro
Aproveitar cada instante
Sentindo o amor seguro

Quero amar-te plenamente
Entregar-te o meu amor
Sem reservar sentimento
Dou-te tudo com ardor

Não quero fazer planos
Quero amar-te imensamente
Vivenciar nossa paixão
Intensa e completamente!

Nádia Santos
09/04/14



segunda-feira, 7 de abril de 2014

Exaltada


Hoje, olhei para trás, foi preciso...
E lá estava eu triste, desencantada
Esperando um sinal... um aviso
Que deixasse minha alma exaltada

Mas o tempo, zombando, era lento
Parecia torturar todos meus sonhos
Cada dia, apático, era um tormento
Deixando meus dias enfadonhos...

Mas um dia surgiste de repente
Chegou tão carinhoso e envolvente
Alegrando minha alma e coração...

Quando percebi  estava enamorada
A minha vida ficou mais iluminada
Porque mergulhei fundo nesta paixão

Nádia Santos
05/04/14






terça-feira, 1 de abril de 2014

Esquecemos de tudo

Fechamos bem a porta àquela hora
E impedimos a razão que queria entrar
Insistente, ela que espere do lado de fora
Pois não precisamos dela para nos amar!

Para nós se é dia, se é noite pouco importa
Tanto faz se chove, se faz sol não interessa
Pois o mundo que deixamos ao fechar a porta
Esquecemos... Aqui dentro não temos pressa

Vamos nossas peles com a do outro vestir
Inundar o silencio com o som dos nossos ais
Ficarmos os dois cativos desse louco sentir
E esquecidos de tudo nos amamos demais!

Nádia Santos
31/03/14