quarta-feira, 31 de julho de 2013

Toma que é teu

Tantas vezes imaginei
Com uma voz pungente
Carregada de emoção
Ouvir-te dizer ardentemente
Toma, que é teu meu coração!

- Sonhar, ainda é permitido...


Nádia Santos

terça-feira, 30 de julho de 2013

Crepúsculo

Fiquei esperando,
Chegar o entardecer
O sol lento se pôr
A noite chegar
Para ver a lua brilhar...
Vi os pássaros aos bandos
Em alegre alvoroço
Fazer algazarra no céu
E nos ninhos fazer pouso.

Ouvi um sino tocar...
Ao longe... arrepiei...
Passou um leve vento,
Uma emoção pairou no ar
Sentir o coração palpitar
E esqueci os tormentos.

Foi por alguns instantes...
Foi pura magia,
Foi pura fascinação,
Lembrei de tua imagem...
Viajei na fantasia
E ficou feliz meu coração!
Nádia Santos
30/07/13

Somente nos teus braços

Estou procurando a paz...
Aquela, que só quem traz é um amor
Aquela, que bem material não satisfaz
Aquela, que dinheiro nenhum compra.
Essa paz num ombro estará pousada
Sobre um peito ofegante e desnudo
Num olhar apaixonado e mudo
Em mãos de carinhos carregadas.
Nos teus braços, tão somente,
A paz que estou procurando
Espera por mim... serenamente.
 Nádia Santos
30/07/13

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Meu eleito

Quero com todo jeitinho ser amada
Nos primeiros momentos de mansinho
Sentindo em mim ser despertada
Os mais ardentes e intensos carinhos

Esquecendo do tempo, das horas
Sem querer buscar entendimentos
Entregar-me à paixão que me devora
Vivendo intensamente os sentimentos

Meu corpo, de outro corpo vestir-se
Com volúpia ardentemente fundir-se
Num momento de êxtase pleno...

E após amada, renovar-me num peito
Aninhada ao meu amado, meu eleito
Agora em plena paz de um amor sereno.
Nádia Santos
29/07/13

domingo, 28 de julho de 2013

Meus olhos querem...


Eles olham para os lados...
É em vão... não há ninguém.
Olham no quarto atordoados
Está tudo tão vazio também...

Entregam-se, assim, à fantasia
Perdem-se, tristes, na solidão
Não sabem mais o que é alegria
Tudo para eles é apenas escuridão

Buscam, aflitos, a tua imagem
Fugaz ilusão, uma doce miragem
Para que voltem feliz a brilhar...

Ah! Quanta tristeza nos olhos meus
Sem a beleza e o brilho dos teus
E cabisbaixos... começam a chorar

Nádia Santos
28/07/13

sábado, 27 de julho de 2013

Voar!

De repente... consigo voar!
Alcanço às nuvens e numa delas deito-me...
Num delicioso passeio, vejo tudo e todos,
Tão pequenos... E aos poucos vou esquecendo
Das tristezas, dos tormentos...
Vejo tantos pássaros e delicio-me
Com seus cantos... Sinto a brisa no rosto,
Deixando meus cabelos revoltos...
O dia vira noite! Toco as estrelas...
São tantas... De todos os tamanhos...
Meus olhos, ficam extasiados
Ficam como meninos risonhos.
A lua vem, aproxima-se...
Veste-me de dourados e de desejo
E mostra-me tua face, em meio às estrelas,
Com aquele teu sorriso iluminado...
Ela pede-me para fechar os olhos
E senti-lo... Pois nesse instante,
Tu também estás a pensar em mim...
E vejo nós dois... sinto nós dois...
E é por isso, que a magia é consentida;
A força do meu amor, faz-me
Viajar e flutuar nas fantasias
E assim posso te encontrar...
E aliviar essa doida agonia.

- Eu preciso e devo cultivar
meus sonhos, mesmo que as 
circunstâncias pareçam 
conspirar contra.

Nádia Santos
27/07/13

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Sobre as ondas do mar azul

Leva-me barquinho, e vamos navegar
Sobre as ondas azuis desse mar.
Leva-me enquanto sinto
O vento soprando de mansinho,
Tocando meu rosto com carinho.
Anda, leva-me para além
Da linha do horizonte
Aonde o céu toca amoroso o mar,
Aonde o infinito vai
Muito além do meu olhar,
E quem sabe lá eu encontre
Um novo sonho pra sonhar!
Leva-me, a areia não é teu lugar
Então vamos juntos navegando
Sigamos calados, com
Meu pensamento absorto
Enquanto anseio avistar
Meu sonho de amor perdido
A esperar-me, em algum porto...
Leva-me...

Nádia Santos

Quando os sonhos se vão...


Adeus meu sonho

Abri a janela do meu quarto
E te vi meu sonho, partindo
Embrenhou-se na escuridão
E sem olhar para trás, foi indo

No quarto ficou um vazio
Nem mesmo ficou seu cheio
Para abraçar nas horas de frio
E senti-lo vivo no travesseiro

Nem mesmo molhou o lençol
Com a sua doce essência
Nem sua foto ficou comigo
Para eu lembrar de sua ausência

Adeus meu sonho, minha miragem
Adeus minha ardente fantasia
Levasse sem saber na bagagem
Meus sorrisos e minha alegria
* * * * * * * * *

Um sonho disse-me adeus

Hoje um sonho disse-me adeus...
Tentou ser sutil e carinhosamente,
Abraçou-me, disse não poder ficar
De mim desapartou e sumiu de repente

Tem sonhos, sabemos e pressentimos
Não vingarão, mas vamos alimentando
Dia a dia, sem querer ouvir a razão
Mas sentindo que estamos nos enganando

Ficamos sem encarar a realidade
Mas, enfim, é chegada a hora da verdade
E hoje, nesse dia chuvoso e fazendo frio

Mas um sonho, sem dó, me abandonou
E triste, meu coração e alma chorou
Diante do imenso e dolorido vazio...

Nádia Santos


Hoje choveu...

Hoje choveu 
Torrencialmente
Dentro de mim...
O coração quase se afogou...
Mas aos poucos, 
a tempestade foi passando...
O céu  aqui dentro,
Ainda está nublado, cinzento
Mas a noite está chegando
Irei dormir e amanhã
Quem sabe, fará sol
Aqui dentro de mim...

Nádia Santos

* * * * * * * * *

No meu blog de contos
tem um novo conto (mini conto)
Sonho erótico
MEUS CONTOS

Traz o champanhe...

Quero te fazer um pedido...
Se vieres, traz champanhe, meu amor!
Para brindarmos, entre beijos e borbulhas
O nosso encontro, cheio de ardor...
Que eu providenciarei, morangos e uvas.
Quero sentir-me  leve... entorpecida...
Quero misturar-me às frutas 
Mas desejando ser a tua preferida!
E entre uma e outra carícia, já atrevida
Quero um gole de champanhe...
Gelada, espumante, contagiante!
Quero derramá-la no meu corpo
Para que bebas em mim 
Os últimos goles e fique de porre...
Porre de amor... de desejo...
Para que façamos um amor inebriante
Regado com muitos beijos
Com sabor de ... champanhe!

Nádia Santos
26/07/13



quinta-feira, 25 de julho de 2013

Muito te amo

No silêncio das noites solitárias
Com o olhar apaixonado a sonhar
Entre fantasias loucas e imaginárias
Procuro explicação para te amar

Sonhos nos teus braços perdida
Hipnotizada por teu ardente olhar
Na chama do teu desejo envolvida
Implorando em sussurros teu amar

E estando deitada no teu peito
O teu nome, baixinho, eu chamo
Digo sou tua, não importa o jeito
Que és meu e que muito te amo.

Nádia Santos
25/07/13



Delírio

Ontem vi a lua beijando o sol
Que tingiu o céu com o arrebol
Quando ele partiu para dormir;
Mas meu coração coitadinho
Abandonado, triste e sozinho
Chorava desejando o teu sentir

Fiquei loucamente a delirar
Enquanto o sol beijava o mar
Que trazia a aurora lentamente;
Desejava em teus braços a cura
Desse amor que é minha loucura
E que me consome imensamente!

Nádia Santos
24/07/13



Feita para o amor

Assim como o girassol
Está sempre em busca do sol
Incansável, e para ele se expõe
Se doa alegremente, intensamente...
Assim  está o meu corpo
Em busca do amor (do teu amor)
E de sua energia
Estimulante, revigorante...
Que proporciona felicidade,
Motivação, que incentiva a partilha,
Que cura dores e tristezas,
Que nos arranca da escuridão!
Que fazer se fui feita para o amor?
Meu corpo foi feito para o amor...
Sem medos... sem preconceitos.
Quero sempre me doar com fervor,
Fazendo sempre o que me deixa feliz
Destemida e de corpo inteiro
Ao maravilhoso e intenso amor!
Nádia Santos
01/06/13


segunda-feira, 22 de julho de 2013

Aroma de amêndoa

É para ti que tenho guardados
Calorosos e sedutores beijos
Segredos para serem revelados
Todos, numa explosão de desejo

É para ti minha pele perfumada
Com aroma de amêndoa e baunilha
A espera de tuas mãos aveludadas
Para percorrer todas minhas trilhas

É por ti que esperam ardentemente
Meus seios, por teus lábios quentes
Para sentir, tua volúpia e teu ardor...

Vem, apossa-te de mim, sou tua
Aqui estarei, de corpo e alma, nua...
Amo-te tanto e quero-te meu amor!

Nádia Santos
22/07/13





Eu sei (?)


A noite já vai alta!
Sentada na cama encolho-me,
Abraçando as pernas, fortemente,
No auge de minha aflição.
Enquanto, talvez,
Estejas tentando dormir...
Fico eu, sonhando acordada
Com tua imagem tatuada
Nos meus olhos,
Na minha mente,
No meu coração.
E assim, fantasiando,
Tenho-te sempre comigo...
A aurora já desponta
E sigo com minhas fantasias...
E tu, já acordado, quem sabe
Com um sorriso de felicidade,
Por ter sonhado comigo (ou não)
Segue tua vida, tua rotina,
Mas com uma pontada de tristeza.
Pois assim como eu desejo
Tua companhia, também
Desejas a minha (será ?)...
Eu sei (?)

Nádia Santos
21/07/13

Unidos pela poesia

Num daqueles momentos
De puro encantamento e magia
Que só os apaixonados 
Conseguem sentir...
Nossos corpos se encontraram,
Se amaram... Atravessando
Céus, montanhas e mares!
Deitaram sobre as nuvens
Cercados de estrelas,
Que rubras ficaram,
Com nossas carícias...
Acompanhando tudo,
Estava a lua, nossa madrinha, 
Que, com seus raios dourados,
Nos iluminava...
Momentos indescritíveis!
Alguns inconfessáveis,
Mas todos admissíveis
Entre amantes apaixonados.
E após refeitos e saciados
Do nosso amor, da nossa paixão,
Cada um, numa nuvem,
Retornou à sua triste agonia...
De estarmos separados pelo mar... 
Mas unidos pela poesia!

Nádia Santos
21/07/13

domingo, 21 de julho de 2013

Pretensiosa

Hoje despertei tão pretensiosa...
De ser o teu bálsamo, sinto vontade!
De arrancar de tua alma
A mágoa, a dor, o sofrimento.
Ver teu pranto correr com liberdade
Para com minhas mãos
Enxugá-lo com devoção...
Depois, jogar tudo no firmamento
Espalhando-o no infinito
Para que se finde os teus tormentos!
E no silêncio... bem silencioso,
Afagaria teu rosto com carinho
Beijava-o todo, bebendo devagarinho
Os resquícios, teimosos, do teu pranto...
Daria-te meu ombro, meu colo...
Meu corpo, meu coração,
Só para ver brotar o teu sorriso
Que amo e é pura perfeição!
Hoje despertei ainda mais pretensiosa...
Desejando ser tua musa, tua amada...
Teu alento, teu porto, tua inspiração!
Desejando ser a água que te sacia...
O vinho que te alegra e entorpece...
O amor que te trás paz e alegria...
A paixão que te atormenta e te enlouquece!

- Hoje queria ser todas as tuas fantasias...

Nádia santos
21/07/13




sábado, 20 de julho de 2013

Vem iluminar o meu caminho!


Um lindo passarinho, 
Alegremente,
Trouxe-me um recado teu
Disse-me que desejavas, 
Loucamente,
De minha companhia
E do sorriso meu!
Pois comigo querias, 
Ardentemente,
Ver o sol nascer!
E com o clarear do dia,
Querias passear de mãos dadas
Com o peito repleto de alegria, 
Ouvindo as canções apaixonadas,
Que o vento e os pássaros
Cantariam só para nós dois.
Fazendo-nos esquecer 
Dos medos e das tristezas,
Deixando tudo isso para depois...
E entre borboletas e flores,
Cercados de tanta beleza,
Trocaríamos beijos ardentes e
Olhares repletos de certezas...
Seria mágico o nosso viver...
Eu seria tua flor,
Tu serias o sol, a me aquecer,
Iluminando meu caminho, meu ser...
E eu, te cobrindo de amor!

Nádia Santos
20/07/13

* * * * * * * * * *
Ricardo deixou lindos versos
no seu comentário, numa linda interação
com meus versos e merecem
fazer parte da postagem. 
Obrigada por seu carinho, bjus.
(seu blog)


"Se o meu pensamento te contasse
Talvez comigo teu amor passeasse
Pelos campos em flor, perfumados
Te diria... dá-me a tua alva mão
Entrega-me o teu bonito coração
Vem ver o sol,unidos e apaixonados"









No meu caminho é outono

No caminho por onde sigo
Procurando por ti
E as vezes por mim mesma,
Ainda é outono... E pelo chão
Uma imensidão de folhas secas
Formam um tapete amarelado.
O silêncio que grita é quebrado
Pelo som dos meus pés sobre elas
Despertando-me da solidão.
O céu está nublado, sem sol,
Só o frio e o vento gelado
Abraça-me, envolve-me,
Fazendo estremecer
Meu corpo e minha alma.
Olho o horizonte
E em meio a brumas
Consigo ver envolvida
Num fraco lume uma luz...
Vou seguindo até ela
Pois quem sabe lá
Eu me encontre...
E tu possas está...

Nádia Santos
20/07/13


Nada sou

O tempo passa maçante
E eu sinto imensa saudade
Saudade do que nem nasceu
Do que nem viveu a realidade

Saudade de uma lembrança
Que foi um sonho fugidio
Que levou também a esperança
Causando em meus olhos estio

E nesse tempo que passa devagar
Vou seguindo o meu caminhar
Juntando pedaços do que restou...

Pergunto insistente ao meu ser
Se fui alguma coisa em teu viver
Porque agora sei, que nada sou.

Nádia Santos
19/07/13

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Imaginando...

Meu corpo arde em chamas
Que a tua lembrança inflama;
Deixando minha pele queimando
Envolvida nesta ardente trama
E a cada minuto te amando... 

Quero o teu corpo queimar
E convulsões te causar;
Provocar intensos arrepios
Deixar teu coração a palpitar
Arrancar de ti calafrios... 

A boca ávida e dadivosa
De vontade fica ardorosa
Fica ela, toda desejo...
Fecho os olhos e ansiosa
Vou fantasiando o teu beijo 

O ar vai, aos poucos, faltando
O peito, louco, acelerando
Extravasando gritos incontidos;
E tudo em nós vai se encaixando
Perdendo, também, os sentidos

Vem, de súbito, a morte aparente
E a paz se instala de repente...
O coração, enfim se acalma
Respirando tranquila a alma
Até o desejo renascer ardente!

Nádia Santos
18/07/13

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Devaneios

Na languidez da noite,
Nas horas caladas,
Nas solitárias madrugadas
Meu corpo inspira e 
Transpira de desejo!
Sonhando com teus beijos,
Desejando as tuas mãos
Pousadas nos meus seios...
Enquanto com tua recordação
Sinto despertar meus anseios, e
Fico a delirar nessa louca paixão!
O meu corpo, seduzido e embriagado
Procura em vão o teu olhar ardente,
 Com teus lábios úmidos e quentes
A pronunciar palavras sem nexo...
Desejando teu corpo sobre o meu
E o encaixe, perfeito, dos nossos sexos.
Olho-me no espelho e vejo refletida
A imagem do meu desespero...
De te querer e não te ter... Que agonia!
Mas só assim consigo te encontrar
Nos meus devaneios...
Nas minhas fantasias!

Nádia Santos
18/07/13

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Minha doce rotina

Sonho um dia ao despertar
Ter-te debaixo do cobertor
Ter meu olhar no teu olhar
E sentir, cedinho, o teu calor

Sentir ao acordar o teu desejo
Arder pela manhã na tua chama
Trocar ardentes e doces beijos
E ouvir-lo dizer que me ama...

E tudo, amor, em minha volta
Ganhará uma alegria divina
Quando enfim bateres à porta
E fores a minha doce rotina!
Nádia Santos
17/07/13

Não queiras, tu és!

Do meu coração o dono...
E dos meus beijos,
Do meu pensamento,
Do meu sonhar,
Do meu tempo!
Do sorriso de minha boca,
Do brilho do meu olhar,
Desde quando adormeço,
Até o meu despertar!
És o céu do meu mundo,
O perfume que exala da papoila
Nas manhãs ensolaradas
E que faz-me lembrar
De tua face adorada!
És meu amor...
Meu homem... meu amigo!
São teus meus abraços
Todo meu carinho.
És meu porto seguro
Meu doce abrigo.
É teu meu coração... minh'alma
O estremecer quando penso
no teu beijo,
Lembrar de te me acalma,
Simplesmente...
Porque te amo e te desejo.

Nádia Santos
14/07/13



terça-feira, 16 de julho de 2013

Mais um crepúsculo sem ti...

Final de tarde, olhava o céu admirada
O arrebol pintando tudo de vermelho
Vi, neste instante, tua face adorada
Nítida e refletida, como num espelho

Sem saber o que olhava ao certo...
Se o pôr-do-sol ou tua doce imagem
Meu coração pobrezinho, encoberto
De paixão, fixou tua linda miragem

Mas de repente desfez-se a imagem tua
A noite surgiu trazendo com ela a lua
E foi amor, mais um crepúsculo sem ti

Resta-me, agora, esperar pela aurora
Junto com a solidão, contarei às horas
Pois quem sabe, amanhã, tu há de vir...

Nádia Santos
16/07/13



Menina ingênua

A menina ingênua que sempre fui
Continua viva dentro de mim
Mesmo pela vida tão machucada
Como pétalas pisadas num jardim...

Caídas... jogadas... esquecidas
Levadas por ventos de desilusões
Vendo tantos sonhos afundados
Arrastados por ondas de decepções

A menina ingênua com suas tranças
Chora, mas não perde a esperança
De sair dessa inquietação, desse sofrer...

A menina já não tem o mesmo olhar
Às decepções sofridas a fizeram mudar
Mas não tiraram sua alegria de viver!
Nádia Santos
21/06/13

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Meu corpo...sua moradia


Faz-me moradia e o meu corpo acalma
Sinto, que intenso, teu fogo me chama
Toma-me o coração e também a alma
Que por ti esse desejo doido inflama!

Corre com o tempo, vem... não demora
Quero ser para ti uma fantasia, um desejo
Abrigá-lo em mim e esquecer das horas
Matar tuas vontades e tua sede de beijo

Vem, amo-te tanto, não demora assim
Quero-te! Chega e apossa-te todo de mim
Loucamente espero para dar-te só alegria

E esquece... por favor, a trilha que fizer
Serei tua fêmea, farás de mim o que quiser
Pois meu corpo será enfim, sua moradia!

Nádia Santos
15/07/13

* * * * * * * * * * * * * * *

* Este soneto nasceu inspirado na
seguinte frase: "Teu fogo me chama"
citada por Edson Marques, na sua
página do Facebook (clique em seu
nome para visitar seu perfil.
Seu blog: MUDE

A paixão que meu corpo abriga

Este meu corpo
Sempre a querer... sedento...
Sempre desejoso... carente...
Tão frágil... mas ardente!
Abriga, contra minha vontade
Esse sentimento louco
Que tortura de verdade
E que aumenta, aos poucos...
Esse meu corpo delicado
Cansado de lutar
Entrega-se languescente...
Entorpecido, embriagado
A uma doce indecência
A esta paixão que me alimenta
Mas que deixa feliz, agora,
A minha existência!

Nádia Santos
13/07/13

domingo, 14 de julho de 2013

Entre mim e ti...

Entre mim e ti
Existe ela... a distância...
Que maltrata... que tortura
Que causa aflição
E tanta... angústia!
Entre mim e ti
Existe o amor, existe a paixão
E esse louco desejo,
Que atormenta, que esquenta
Corpo, alma e coração!
Entre mim e ti
Existe este espaço...
Existe um elo... um tênue fio,
Provocando em nós calafrios... cio...
Entre mim e ti
A distância, as vezes, é nada,
Não nos impede de perceber
Nosso sentir e o encontro feliz
De nossas almas apaixonadas!

 Nádia Santos
13/07/13

sábado, 13 de julho de 2013

Quando penso em ti

Quando penso em ti tudo começa assim...
Um sentimento profundo,  algo como querer,
Mesmo com minha fragilidade, te proteger...
De tudo e de todos! De querer realizar,
Tuas necessidades... tuas vontades,
Sem nada querer em troca, só pelo prazer...
De vê-lo feliz... de vê-lo sorrir!
De querer-te assim , do jeitinho que és,
Sem em nada querer-te mudar...
Mas só que aos poucos, esse sentimento 
Torna-se ardente... intenso...
Um desejo doido vai me consumindo
Tirando o sossêgo... do corpo e da alma...
Que vai abraçando-me... envolvendo-me
Nos meus momentos de solidão...
E vai deixando meu corpo
Querendo, loucamente, ser pelo teu
Comprimido... preenchido...
Apertado... sufocado... amado...
E apaixonadamente... possuído!
Nádia Santos
12/07/13





sexta-feira, 12 de julho de 2013

É teu este livro...

Vem desfolhar suavemente
O livro que guardo para ti
Repleto de conteúdo ardente
Para despertar o teu sentir

Folheia atento o livro... folheia!
Percebes suas tramas excitantes
Que no corpo todo incendeia
Uma chama e fantasias delirantes!

Folheia esse livro com calma
Desfrute-o todo, de corpo e alma
E entrega-te se ele te envolveu...

Este livro é para ser devorado
Suas páginas o deixarão excitado
É teu este livro... este corpo meu.

Nádia Santos
11/07/13





quinta-feira, 11 de julho de 2013

Ah como eu quero...

Ah como eu quero... 
Desesperadamente
Perder-me neste teu corpo
Tão intensa... tão ardente...
Sentir teus fortes braços,
Prendendo-me... atando-me,
Ao teu corpo másculo,
E não mais soltar-me desse laço!
Ah como eu quero...
Ser sufocada por teus beijos,
Sentir, loucamente, o passeio
Despertando em mim desejo,
Dos teus lábios... nos meus seios...
Sentir o roçar de nossas coxas
Enquanto nossos corpos colados,
Em delírio, desarruma da cama a colcha,
E nós, entregues ao prazer... excitados!
Ah como eu quero...
Teu corpo queimando sobre o meu
E não mais imaginando ser tua...
Com o meu olhar fitando o teu
Já a te pertencendo, apaixonada e nua.

Nádia Santos
11/07/13


quarta-feira, 10 de julho de 2013

Meu corpo (meu mar)

Meu corpo (meu mar),
Misterioso... revolto...
Convidativo... provocante...
Aguarda teus mergulhos
(que o deixa quente)
Intensos e profundos!
Meu mar (meu corpo),
Que quer ser teu mundo,
Tem ondas de fogo
Que querem te queimar
Deixar-te desejoso
Levar-te a delirar e provocar
Ardentes frêmitos de gozo...

Nádia Santos
10/07/13

Quando enfim a noite chegar...

Sonho... quando enfim a noite chegar
Com o corpo tenso, moído de cansaço
Amorosamente no meu colo te acomodar
E carinhosa oferecer-te os meus braços

Deitarei tua cabeça, suave, no meu peito
Afagarei delicadamente teu rosto e cabelos
Até sentir que teu cansaço estará desfeito...
Pois para ti, me desdobrarei em desvelos

Enquanto atenta escutarei os relatos do dia
Aproveitarei a tua presença, cada segundo
Pois serão momentos de encanto e magia
Estando ao teu lado, esquecerei do mundo

Quando estiveres, meu amor, atarefado
Esperando que o longo dia chegue ao fim
Pensa no meu amor, abraços e beijos, e diz:
"Logo estarei com ela, que ama muito a mim!"

Nádia Santos
10/07/13







terça-feira, 9 de julho de 2013

Metamorfose

Tudo que quero são nossas bocas
Unidas ardentemente!
Colar nossos corpos, um no outro
Loucamente!
Quero misturar nossas essências,
Misturar nossos suores...
Numa alquimia  harmoniosa 
E que dessa junção ensandecida
Aconteça uma metamorfose...
Entre dois corpos...
Duas almas apaixonadas...
Flutuando num universo
Onde o tempo não conta,
E cada suspiro e cada ai
Seja um ardente verso!
Nádia Santos
09/07/13


Sentidos

Distância... saudade... dor...
Será que o amor resiste a tanto?
Não... o que resta é um amargor
Lágrimas, sofrimento e pranto!

Pode ser poético um amor ausente
Uma imagem, uma doce recordação...
Mas o que fazer com o corpo carente
Que quer arder no fogo da paixão?

O amor trás consigo os seus adereços...
Deseja o toque que nos vira pelo avesso
Olhos nos olhos... pele... mão na mão...

O corpo precisa de visão, cheiro, tato
Sentir, ouvir, provar, está em contato
Usar os sentidos... perder a razão!
Nádia Santos
09/06/13

Momentos...





O QUE FAÇO COM ESTA DOR?

Meu coração foi invadido
Assim, inesperadamente
E ele, demente e desprevenido
Entregou-se à paixão fremente!

Porque coração fizeste assim?
Porque foste te apaixonar?
Porque mergulhaste em sonhos?
Porque foste, assim, se entregar?

Permitiste, sem lutar, esta invasão
Se deixaste dominar pela paixão
Então diz-me, o que faço agora?

Mergulhaste tão intensamente
Num sentimento ardentemente...
O que faço com a dor que me devora?
* * * * * * * * * * *

SEM ESPERANÇA

Vindo do além mar
Um vento me contou
Soprou  suavemente
E bem assim segredou...

Que no teu pensamento
Tal qual uma miragem
Surgindo a todo momento
Está  a minha imagem...

Mas de que adianta
Essa forte lembrança
Se para nosso amor
Não existe esperança...
* * * * * * * * * *

NOITES DE INVERNO

São sempre tão frias
As noites de inverno
De saudade e agonia
Padeço nesse inferno

Fica tudo tão silente
Acordada só a dor
Que avisa sorridente:
Irás sofrer por amor

Eu triste e resignada
Calada e acabrunhada
Perco-me na escuridão...

Cai na rua uma chuva fina
Olho e vejo na esquina
Sorrindo-me a solidão...

Nádia Santos
21 e 22/06/13








Toma minha mão...

Não sei a vida que tu levas...
Não sei o que fazes e o que tens...
Se estás  assim... descontente
Deixa o medo de lado,
Larga tudo... seja ousado!
Sai da rotina que te escraviza...
Pára de se repetir...
Respira fundo... vira o jogo
A vida sempre convida...Vem se permitir!
Toma minha mão, estou contigo!
Que assim... juntinhos
Tudo terá outro sentido,
E terás meu ombro como abrigo.
Vem! Tenta... a vida pede renovação
E verás como vibrará teu coração...
Tenho o meu amor para te ofertar
Meus carinhos e cuidados terás constante
O meu corpo, o teu, deseja muito amar
E ficará tua nova vida mais excitante!

Nádia Santos
07/07/13

Tens medo da mudança, do novo?
Talvez o que esteja faltando na tua
vida seja este passo a mais, que
vai te virar do avesso e te levar
a viver novas emoções...
permita-se!





segunda-feira, 8 de julho de 2013

Tu és...

Se eu escrever que não te amo,
Que quero te esquecer,
Pode crê que é engano...
Que foi um momento de desespero
Porque eu te amo... te amo...
E que é por ti as lágrimas que derramo,
É contigo que todas às noites sonho,
É contigo que me vejo fazendo amor,
Porque é só a ti que eu amo.
Tu és minha poesia de amor,
O desejo que me deixa insone,
A paixão que me abrasa e me consome.
És meu primeiro pensamento ao amanhecer,
Minha doce e insana saudade
Tu és a vida que eu quero ter.
Nádia Santos
07/07/13


domingo, 7 de julho de 2013

Meu coração quer conversar

O meu coração quer conversar com o teu...
Quer falar de amor, de saudade, de vontade...
Quer declamar versos ardentes para o teu.
Quer dizer que a luz do teu olhar
Faz ele intensamente suspirar de ansiedade.
Quer dizer que tem magia o teu sorriso
E que ele o leva a flutuar no paraíso!
Quer dizer que quer sentir o calor nele vibrar,
Quando tuas mãos ansiosas
E cálidas, pelo meu corpo passear..
Ele quer confessar que derrete-se
Estremece... enlouquece e quase pára,
Quando aquele desejo que meu corpo sente por ti
Excita-me... arrepia-me... assanha-me...
E ele segue no embalo dessa onda,
Apaixonante. quente e ardentemente
E louco por ti ele clama... e chama!
Vem! Meu coração quer conversar com o teu...
Os dois, num diálogo silencioso, 
Enquanto Tu e Eu vibramos 
Num abraço ardoroso!
Nádia Santos
06/07/13




sábado, 6 de julho de 2013

Teu nome... meu verso

Tento, em vão, apagar teu nome
De minha mente, dos meus lábios...
E a tua imagem... Ah a tua imagem!
Está em meu coração, pintada
Com uma tinta que nada apaga
Na cor vermelha,
Da paixão desvairada!
O teu corpo é uma poesia
Sensual, intensa e eloquente!
Que desejo intensamente, doidamente!
Teu nome é um verso, uma melodia
É como um suave vinho
Que se deleita minha boca
E que aos poucos embriaga-me
Deixando-me louca!
E nessa solidão que me abraça
Nos desejos que o meu corpo abraça
Deliro e suspiro por ti...
Gritando teu nome, meu verso...
E ele voa... voa pelo universo,
Dizendo que te amo!
Desejando que as ondas sonoras
Desse insano chamado
Chegue aos teus ouvidos e coração
Tirando teu sono, tua razão
E que sintas que por mim és amado.

Nádia Santos
05/07/13



sexta-feira, 5 de julho de 2013

Fogo da paixão

O meu corpo
Todo marcado,
Torturado,
E cicatrizado
Pela vida,
Por decepções,
Pelas dores,
Por incisões,
Pelos amores...
Fica as vezes cansado,
Triste, amargurado e
Caí no chão...
E prostrado chora...
Implora por paz!
Mas um vento, 
Que sopra suave
Passa e me abraça...
E uma alegria vem
E docemente me enlaça.
Um calor me aquece,
Me enlouquece...
E o corpo estremece!
Porque o vento que passou
Soprou teu nome
Em meu ouvido
E o fogo da paixão
Me excitou... 
E se alastrou...
Incitando-me os sentidos!

Nádia Santos
05/07/13


Soneto para o homem

Meu coração agradecido, muito ama
Por ter num corpo de mulher nascido
Com todos meus dramas e tramas
Que pelo meu caminho tenho vivido!

E a vida... Essa vida maravilhosa
Fica ainda mais linda e deslumbrante
Porque Deus numa ação esplendorosa
Deu-nos o homem, tão exuberante

Com seu corpo forte para nos proteger
Com sua potência nos dá carinho e prazer
E como macho, mas todo alma, nos amar...

Nos braços do homem tudo é perfeito
É mágico deitar e sentir o seu peito
E no seu corpo ardente e quente mergulhar!
          
* * * * * * * * * * *
-Minha sincera homenagem ao homem...
  Que nesta e em todas as outras vida
   que hei de viver... amarei, 
desejarei e admirarei!

Nádia Santos
05/07/13


quinta-feira, 4 de julho de 2013

Agradecimentos


Hoje despertei ( assim como a jovem da foto, sorrindo) com o calor dos raios de sol no meu rosto. Após três dias de chuva, aqui na terrinha, o sol voltou a brilhar. Abri a janela para senti-lo melhor e receber o ventinho gostoso que fazia. Dormir maravilhosamente bem e olhando a paisagem, não vi nenhum pássaro, mais me senti como se tivesse visto um passarinho verde. Senti-me feliz... feliz pela vida e por ter saúde e por sentir o amor dentro de mim. Resolvi sair, pois tinha que resolver umas coisas e aproveitei, na volta, para fazer o percurso a pé, era um pouco distante, mas queria andar, caminhar... estava precisando.
Cheguei em casa, tomei banho e vim ver meus queridos blogs. Gente, todos nós que temos blogs gostamos de receber comentários...é gostoso não é! Existe comentário e COMENTÁRIO. E não tem nada mais gratificante e delicioso, pelo menos para mim, que ler um comentário onde você sinta carinho, admiração, respeito e emoção no que te deixam. Tem comentário que te inspira, incentiva, emociona, é um carinho no coração e um afago na alma. Já recebi muito comentários maravilhosos, mas hoje recebi dois que simplesmente completaram a felicidade que senti logo pela manhã ao sentir  o sol. Esses comentários deixaram meu coração - eita bichinho bobo - dando pulinhos, meus olhos brilhantes como duas estrelas e com toda certeza, deixaram minha áurea ainda mais azul.
Por isso, como forma de homenagem,  a todos que dedicam uns minutinhos do seu tempo para prestigiar minhas poesias, vou deixar aqui na íntegra os referidos comentário - foram dois - com os nomes e os blogs desses meus queridos amigos. Deixo para eles um muito obrigada desse tamanho - não está vendo o tamanho? Então imagina algo bem imenso - um beijo e um abraço super, hiper, mega, quentinho e carinhoso. Adoro todos vocês  que passam por aqui diariamente, me presenteando com suas presenças.

- Comentário I

Ricardo/águia_livre deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Outra vez": 

BOM DIA.

Começo a temer chegar a este blogue vivo e sair daqui "morto", loool
É que ler os poemas da Nádia Santos são como a água que mata a sede, a comida que mata a fome, o ar que nos faz viver, o bálsamo para o nosso amanhecer, a suavidade dos nossos sonhos, a sensualidade dos nossos pensamentos

E quem na retém no imaginário a mensagem destes versos tão bonitos?
Fique feliz

Blog do Ricardo

* * * * * * * * * * * * * * * * * * *
- Comentário II

PAULO TAMBURRO. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Outra vez": 

NÁDIA,

na primeira edição estive presente,na reedição como ficar ausente?

A razão? 

Certas poesias são gritos que brotam incontroláveis das vísceras contorcidas das saudades e legitimas esperanças!

Lamurias que despertam de pesadelos da ausência,apelos incontidos de fortes gritos que ecoam aos quatro cantos das nossas perdas,túnel de luz opaca em seu final.

Certas poesias precisam versejar cantos de desencantos para impedir a implosão em jorros de angustias,pois amordaçar seria sufocar e garrotear impulsos.

Então, como poderia,ficar ausente na reedição e,agora poder sugerir, como antes já se fez em música:Explode coração!

um abração carioca.

Blogs do Paulo


Pois é Ricardo, fiquei feliz...
E o coração explodiu mesmo, viu Paulo!
Um imenso bj

Nádia Santos

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Estrelas

As vezes cruzam nosso caminho
Pessoas que nos arrebatam o coração
E desassossegam nossa alma e corpo.
Até que descobrimos que elas
São como estrelas... Nos ofuscam
Com seu brilho, parecem estar perto
Mas na verdade, tocá-las
Não passa de sonho...

- Um doce sonho...

Nádia santos
03/07/13


* * * * * * * * * *

Visitem meus blog de contos
e leiam minha nova história.
O ardente e apaixonante
encontro entre Lívia e Sílvio, 
que só foi possível porque ele
discou um número de celular errado.

"Doce engano"
MEUS CONTOS

*Clique no nome do blog para ler.