sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Inveja

Existe um ser malevolente
Uma criatura doente;
Em seu coração ele carrega
Algo que o faz pequeno
Algo que parece veneno...
É a inveja, que o cega!

Cuidado com o invejoso!
Ele é um ser malicioso...
Quer estar perto de quem é sucesso
E delira com o seu crescimento
Pra sonhar com o seu desaparecimento...
Pois lhe dói ver do outro o progresso!




Nádia Santos
São Luis-MA
21/11/12

Quero ser feliz hoje!

Cada dia, ao despertar
- Que maravilha, mais um presente!
Preparo-me para viver cada momento...
Que é único e ele não tem retorno
E não importa a intensidade de sua importância.
Valorizo cada conquista.
Não reprimo meus sentimentos!
Se sinto vontade de chorar... deixo o pranto cair!
Se sinto vontade de sorrir.... dou risadas a toa!
Se sinto vontade de silenciar... calo-me...
Já não digo mais a frase: "Ainda vou ser feliz!"
Que bobagem! A felicidade (eu percebi), consiste
Nas pequenas conquistas diárias.
Não fico esperando grandes acontecimentos
Pois assim, corro o risco de estar passando
Por esta vida sem saber o que é felicidade,
Tornando-me uma pessoa frustrada e amarga.
Por isso aproveito bem meu dia,
Fazendo tudo o que sinto vontade,
Entregando-me aos momentos, intensamente,
E agradecendo ao Pai... sempre!
Pois eu quero ser feliz hoje, imensamente!
Nádia Santos
São Luis-MA
21/11/12

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Quando abres teus braços...


Quando abres teus braços para mim
Vislumbro um caminho repleto de sonhos
Como se surgisse uma estrada florida 
de rosas vermelhas, a cor da minha paixão,
a cor de minha vida! Como se teu corpo
fosse a luz da aurora, todo iluminado,
onde por ti caminho em busca da volúpia
tentadora dos teus beijos, dos teus abraços,
do mel do teu corpo, que sorvo ávida
e que me faz renascer... radiante!
Quando abres teus braços para mim...
Deixo que penetres minha alma,
e arranque as tristezas e as dores...
Esquecendo do tempo... E neste momento
escuto a brisa cantar a canção dos amantes,
que me faz feliz, viva, vibrante, ardente...
Sou tua amada, tua mulher enfim! E tudo isso...
Quando abres teus braços para mim...



Nádia Santos
São Luis-MA
26/11/12


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Selos presente

Venho agradecer aos queridos amigos que me 
presentearam com lindos Selinhos que ficarão
postados  na  minha  página  de  selos/mimos.
Abaixo  deixo  o  link  de  seus  blogs  para que
todos   visitem.   Obrigada   Pedro    Pugliese ,
Donetzka Cercck.  e Carlos Rímolo.














http://donetzkatextosbonitoseimagenslindas.blogspot.com.br/
















http://poramorr.blogspot.com.br
















http://carlosrimolo.blogspot.com.br/





Palhaço tristeza

Todo colorido,cara pintada ele chega!
Entre saltos e muitas piruetas
Leva todos ao delírio, por horas
Alegrando a platéia que se deleita!

Dando cambalhotas, caindo no chão
Arrancando de todos gargalhadas
Sem nem imaginar, a multidão
As lágrimas que ele guarda represadas...

Chegando ao fim do espetáculo
O público grita entusiasmado
Mas ele tem o coração despedaçado...

Sorri o palhaço, sufocando o pranto...
E como ele, tantos cantam a alegria
Enquanto no peito... só desencanto...

Nádia Santos
28/11/12




Pecados...

Tenho em minha boca
O gosto do teu beijo...
Ah desejo!
Tenho nos ouvidos
O eco de tua voz...
Saudade atroz!
Trago nos meus olhos
A tua imagem refletida...
Tão linda!
Trago no meu corpo
Teu cheiro impregnado...
E nele um doido anseio incontido....
De cometer, por amor, 
Loucos pecados...





Nádia Santos
São Luis-MA
28/11/12

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Desnuda-me

Se teus olhos sorri... tira-me a calma

Vestindo-me, inteira, com véu da paixão
Enquanto desnuda-me toda minh'alma
Estremece todo meu corpo de emoção

Desse lindo olhar vem uma luz fulgente
Que afastam pensamentos sombrios
Nas veias o sangue ferve inclemente
Aquecendo-me, e não sinto mais frio...

E basta, querido, um olhar ardente teu
Para arrancar-me desse profundo vazio
Provocando no corpo, frêmito e arrepio

E este teu olhar cheio de querer no meu
A minha imagem, nua, quero ver refletida,
Loucamente e completamente rendida!
Nádia Santos
25/11/12

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Borboleta

Sonhei ser uma borboleta!
Vivia em plena liberdade
E o perfume da violeta
Trazia-me mais felicidade!

Morava num belo jardim
Repleto de flores mimosas
E entre lírio, tulipa, jasmim
Reinava a beleza das rosas

Um dia um vento do norte
Trouxe terrível ventania
E este infortúnio tão forte
Jogou-me no chão, onde jazia...

Já sem esperança e descrente
Fenecendo de frio no chão
Senti o calor de tuas mãos
Dando vida ao meu coração!

Recuperada, feliz e ativa
Por teu amor, por teu zelo
Serei de ti eterna cativa
E de te cuidarei com desvelo

É tão triste tua alma...
No teu olhar não se vê sonho
Teu mundo perdeu a calma
Vives num vazio medonho...

Fica! Pediste-me chorando...
Trouxeste-me a bonança
És a doce chama alimentando
A minha, quase extinta, esperança

Bendita seja a ventania
Que jogou-me naquele chão
Encontrei nova moradia
No jardim do teu coração...

Acordando deste sonho breve
Tão lindo...extasiada e sorrindo
Sentindo o coração ainda leve
Olhei, e tu estavas lindo dormindo...
Nádia Santos
São Luis-MA
25/11/12


sábado, 24 de novembro de 2012

Canção silenciosa


Elas querem estar juntas, unidas
Entrelaçadas a outras em harmonia
Com a mesma intensidade e alegria.
Mãos que no calor se afagam...
Mãos que se tocam carinhosas,
Em intimidades ardorosas...
Mãos que no silêncio falam,
Cantam a sinfonia do amor,
A canção silenciosa
Dos amantes apaixonados.
Palavras são substituídas 
Por gestos e olhares ardentes
Que dizem muito mais...
E para elas bastam,
Os sussurros e os ais...
Nádia Santos
24/11/12

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Água e vinho


Existem duas mulheres habitando dentro de mim...
Antagônicas... como o dia e a noite! Com desejos
Distintos e  independentes, vivendo em eterno confronto... 
A mulher meiga e recatada e outra, ardente e ousada! 
Trago dentro de mim um louco anseio de liberdade,
Mas que vejo cair por terra, quando tu me fitas
Com teu olhar indecente... E neste instante
O que mais quero é ser prisioneira nos teus braços
E dependente dessa paixão e desse amor fremente!
Há manhãs que acordo melancólica, triste, silenciosa
Tenho frio, voltam temores, sinto vontade de chorar,
Quero estar só... De repente a tristeza vai embora, passa...
E fico viçosa como dia de primavera, e a noite te espero
Quente como dia de verão, com meu corpo queimando...
Fogosa.... Quero que nossos corpos se confundam,
Nosso suor se misture e sejamos uno. Enquanto,
Minha alma em festa, estremece, extasia...
Nesse instante em delírio, não sei se seduzo ou
Deixo-me seduzir... Não sei se sou uma gueixa submissa
Ou uma fêmea no cio... Se sou a água que te sacia
ou o vinho que te embriaga... Se sou a luz que te guia
Ou a escuridão que te devora e te agonia...
As duas mulheres que habitam dentro de mim
Só se entendem quando, lânguidas e enternecidas,
No calor dos teus braços, fitam teu olhar apaixonado
E dizem, numa única voz... te amo...

Nádia Santos
São Luis - MA
23/11/12





quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Nossa felicidade


Quando estamos juntos
E desprovidos de pudores
Em nossa essência pura
Esquecemos falsos valores

Numa mistura completa
Somos apenas um
Fantasias são libertas
Sem preconceito nenhum

E quando me abraças
Há intensa harmonia
Batendo no mesmo ritmo
Nossos corações de alegria

Se confundem nossas pernas
Se confundem nossas mãos
Nossos cheiros se misturam
Numa deliciosa confusão

Há entre nós uma sintonia
Advinhas até minha vontade
E essa nossa comunhão
Nos trás intensa felicidade!



Nádia Santos
São Luis-MA
16/11/12 

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Teu silêncio


Repentinamente me fugiu a alegria
Minha boca, coitada, se calou...
Diante do teu silêncio, tua frieza
Meus olhos viram fugir a certeza
E uma lágrima meus lábios molhou...


Sinto-me perdida, entre bruma
Olhos embaçados, corpo demente
Na boca um travo, um amargor
Nos olhos molhados um forte ardor
Pelo pranto que quer brotar insistente


Porém depressa ficarei extasiada
Quando ver pousados sobre mim
Teus lindos olhos a me iluminar
Logo irá minha alma se elevar
E todos os temores terão fim




Nádia Santos
São Luis-MA
03/11/12

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Sou o vento!

Num momento de paz interior
Sozinhas... eu e minha alma
Nos preparamos para um passeio
Onde ela, mais leve, guia-me...
Manda-me fechar os olhos e
Pede-me para que eu me 
Transforme em vento...
Num esforço, consigo... Sou vento!
Sou invisível e vou aonde quiser!
Misturo-me as nuvens, brinco com os animais,
Balanço as árvores, beijo as flores,
Acaricio as folhas... brinco com as ondas
Do mar (é tão bom!), Ando na lua
(que é linda, e está repleta de almas
Enamoradas que se buscam), 
Pulo de estrela em estrela...
Esquecida totalmente de tudo
Que lembre... prisão!
Depois, totalmente energizada,
Revigorada e intensamente vibrante,
Passeio de mãos dadas com a liberdade!
Insistente e prudente, minha alma
Chama-me... é preciso voltar a realidade,
Que pode não ser perfeita, mas é a que
Escolhi, com minhas atitudes.
Abro os olhos, enfim, e volto do meu
Sonho tão louco, mas que ajuda-me
A ser...feliz!
Nádia Santos
20/11/12

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A espera

Por que sempre que partes
Mesmo sabendo que tua saída é breve...
Meus braços sentem falta dos teus,
Meu sorriso logo entristece,
Minha boca triste emudece,
Minhas pernas querem correr atrás das tuas,
Estão confusas, pensam que são as suas...
Minha alma te segue louca, desarvorada...
Enquanto eu, fico com os olhos embaçados
Tua imagem neles mergulhados...
Mas algo me faz suportar
A difícil arte da espera...
O teu gosto... que fica vivo
Em minha boca...

Nádia Santos
São Luis-MA
19/11/12

Sinfonia da paixão

Ouço tocar uma linda sinfonia
E com ela vibra todo meu ser
Enchendo minha vida de alegria
Diante de mim vejo desfilar
Os devaneios, a loucura, a fantasia
Deixando meu corpo a delirar
E louca, minh'alma extasia!
Meu coração insano a palpitar
Tem bem viva uma rubra cor
E ele vibra... vibra por tanto amor!
Vão embora a mágoa e a tristeza
Só ouço a sinfonia da paixão
Que eleva meu corpo, alma e coração!

Nádia Santos
São Luis-MA
23/09/12

domingo, 18 de novembro de 2012

Sedutor

Com aquele olhar sedutor e ardente
Tu chegas me dominando fremente
Sensual, me falas com voz suave e rouca
A terra foge sob meus pés, tudo desaparece 
Beijas sedento minha boca e fico louca
E me entrego ao desejo que me entorpece...

Nádia Santos













Teu colo

Sempre desperto com intenso desejo
De te dar este amor que não é pouco
De sentir o sabor do teu doce beijo
É diariamente... esse sonho louco!

De trocarmos delirantes carícias
Sem receios, vergonha, ou pudor
Ardentes, transbordando de malícia
Sentindo em nosso corpos o calor

Ouvir a tua boca dizer ardente
Que tudo em ti é tão somente meu
Estando feliz presa no abraço teu

Desfalecer de cansaço lentamente
Após momentos de intenso prazer
Como menina no teu colo adormecer

Nádia Santos
São Luis-MA
21/10/12

sábado, 17 de novembro de 2012

Soneto do amor maduro

Nos teus olhos vejo o fogo do vulcão...
São negros, assim como a noite escura
Há um brilho que causa fascinação
Arrancando da alma qualquer amargura...

E vejo neles intensamente flutuando
As mais lindas e loucas fantasias
Fica meu corpo ensandecido delirando
Em desejo, que em febre ele ardia!

Ah invejaria os outros se soubessem!
Das loucuras de amor que praticamos
E segredos que cúmplices compartilhamos

Para muitos já parecemos inocentes
Doce engano passa em suas mentes...
Ainda ferve em nossos corpos um desejo
                                                ardente!

Nádia Santos
10/10/12

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Soneto para as mãos


Mãos que se unem aflitas
Em fervorosa e sentida oração
Erguidas ao céu parece que grita
Humildemente pedindo perdão

Mãos unidas a outras mãos
Que se juntas em solidariedade
Para ajudar tantos outros irmãos
Carentes, que precisam de caridade!

Mãos que esperam desesperadas
Que lhes sejam estendidas outras mãos
Acalentando sua alma perturbada...

Mãos repletas de carinho e ardor
Transmitindo calor e paixão
E que no silêncio falam de amor!

Nádia Santos
São Luis-MA
16/11/12

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Soneto do amor eterno










Por toda minha vida eu vou te amar...
Em todas (eu sei) te amei com paixão
Sei que vou eternamente te adorar
Nas vidas passadas e nas que virão!

Por te procurei em sonhos e fantasias

Vivia perguntando sobre ti a lua
E ela, lindamente brilhante me dizia
Que esperasse, que breve, eu seria tua!

Até sonhei com teu abraço e teu beijo

Sentia o calor do teu corpo, teu desejo
Momento de feliz ilusão, fugaz lampejo...

Nesta vida foi permitido nos encontrar

Através da poesia, do nosso versejar
E por toda minha vida, eu vou te amar...


Nádia Santos

São Luis-MA
14/11/12

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Louco de amor




Sentado naquele banco de praça
Na face uma aparência amortalhada...
Olhar triste e vazio, fitando o nada
Nem percebe quem por ali passa...

Ele perdeu tudo... pouco a pouco...
Se entregou a tristeza desgostoso
Não desfruta da vida nenhum gozo
Coitado! Dizem que agora é louco!

Um dia quando à sua casa chegou
Ela estava tristemente vazia
Seu mundo desabou em agonia
Descobriu que sua amada o deixou...

Em longos gritos saiu correndo
Querendo entender qual a razão
Por que ela despedaçou seu coração?!
Que agora, aos poucos, ia morrendo...

Ele muito a amou...muito a quis...
Só ganhou em troca a ingratidão
Ela apunhalou sem dó o seu coração
Era agora um trapo de homem infeliz!

Naquela praça vive de suas lembranças...
Seu corpo demente já não tem mais vigor
O rosto marcado pelo sofrimento e dor
Da vida já não tem qualquer esperança...

A sua alma em delírio e perturbada
Em noites claras de lindo luar
Se põe loucamente a chorar e gritar
Chamando de volta a sua amada...


Nádia Santos
São Luis-MA
13/11/12

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Procurando...

Estou perdida em devaneios
Mergulhada em fantasias loucas
Suspirando em delírios indecentes
Desejando sequiosa tua boca...

Venha a minha procura...
Te quero inteiramente ardente
E verás toda imensa loucura
Que me causa esta paixão fremente!

E se mergulhares no corpo meu
Procurando sofregamente
Possivelmente encontrarás teu eu...

E quando perdida eu me encontrar
Com teu corpo cobre o meu, ardente
E me acharei no teu louco amar...

Nádia Santos
18/09/12

Aparência



Amor tem que ser verdadeiro
Amor tem que ser incondicional
Assim ele enfrenta tudo e todos
De uma maneira sem igual
Se for casual, sem compromisso
Se o que importar for só o prazer
Um corpo escultural, beleza
Luxo... dinheiro... poder....
Cuidado! Um dia a máscara irá cair
Verás o caráter, a índole, o coração
A verdade então vais descobrir
E mergulharás num mar de decepção...
Se não há amor mútuo
Se a base é interesse, paixão...
O fracasso chegará num certo momento
Só restando pranto e desilusão
Amor não é aparência e corpo...
É alma, coração e comunhão
Se os três estiverem unidos
Não haverá dor, nem separação.

Nádia Santos
São Luis-MA
11/11/12

domingo, 11 de novembro de 2012

Felicidade!

SELO AGENDA DE OURO MELHORES BLOGS DE 2012







Queridos amigos tive a felicidade de receber
este lindo selo, este lindo presente, que para
mim é uma surpresa maravilhosa, da poetisa
incrível VILMA PIVA do blog
Desde que visitei este blog me surpreendi 
com a sensibilidade com que Vilma escreve 
suas poesias, sempre tão tocantes e repletas 
de sentimentos. Por isso, não deixem de  lhe 
fazer uma visita, todos que são apreciadores 
de poesia de qualidade, irão adorar.
Obrigada minha querida.

Quero presentear quatro (04) poetas, que
para mim, são de alto nível, super talentosos,
hiper criativos, que trazem em seus trabalhos
uma riqueza de sentimentos que tocam bem
no fundo do nosso íntimo. E esta é minha
forma de dizer que eles são divinamente
maravilhosos, não ficando atrás de nenhum
dos nosso imortais poetas. Incluindo você,
poetisa VILMA PIVA. A todos meu afetuoso
abraço e beijo.



Não deixem de visitar estes blogs... 
seus conteúdos são maravilhosos
e emocionantes.



Nádia Santos
São Luis-MA
11/11/12

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Teu corpo, meu mar...





Este rio de sentimentos
Que tenho dentro de mim
Tem nascente pura e cristalina...
Vai crescendo, criando força,
Intensidade e desenvoltura...
É corajoso, não se intimida
E os obstáculos ele desafia...
Mas de repente, pode ficar revolto...
Cria ondas e leva tudo que atrapalha
Sua linda caminhada... É passageiro...
Logo volta a calma...
E segue admirando a vida.
A beleza do sol, o encanto das flores...
O vento... o canto dos pássaros...
Porém é da noite que ele gosta e se extasia...
Se tornando um rio de larva incandescente!
Diante dela... A lua prateada...
E do seu clarão refletido em suas águas,  
(meu corpo), com sua imagem flutuando sobre ele.
Ah meu rio chegará ao seu destino!
Não haverá dor... não haverá preocupação
Pois meu rio desaguará 
No teu corpo, de homem maduro,
Fonte dos meus prazeres e...
Dos meus mais loucos pecados...
Teu corpo, meu mar...
Onde meu corpo morre afogado...


Nádia Santos
São Luis-MA
09/11/12



quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Quando foste embora...


Pela manhã, quando foste embora
Fugiu de mim os sorrisos meus...
Eles se foram, tão logo cruzaste a porta
Felizes, seguindo os sorrisos teus!

E sem demora, mais que depressa
Me cobri com um bom cobertor
De frio estremeceu o meu corpo
Quando vi te seguir o meu calor...

Lavaste de mim a claridade
Levaste a luz dos olhos meus
Ela saiu doidinha... alucinada!
Seguindo a luz dos olhos teus...

Até minha alma... desarvorada
Se pôs em insistentes frêmitos
E saiu louca... desesperada!
Chamando a tua em mudos gritos...

Nádia Santos
26/10/12

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Sonhando...








Noutra noite estavas tão diferente...
Vi nos teus olhos pousada a ternura
Senti teu abraço confortante e quente
Dos teus lábios só ouvi doçura

Me disseste eu te amo com tanto ardor
Vindo lá de dentro do teu eu...
Tremi, igual vento ao bater na flor
E suspirei te sentindo tão meu...

Sonhando assim, presa em teus braços
O peito palpitando de tanto anseio
Nada pude dizer... só teu nome me veio...

Aos teus beijos doces me entreguei dolente...
E lentamente foi surgindo a aurora...
Mas agora nos amando...que importa a hora...


Nádia Santos
São Luis-MA
07/11/12

Vontade de tuas mãos


A tarde desmaia mansamente
Linda, fulgente e tão voluptuosa
Foram tantas vezes repetidamente
Que a vi partir languescente
Enquanto te aguardava esperançosa...

Nessas noites sozinha em agonia
Minha alma estremecia ardorosa
E um desejo insano no corpo ardia
E a única vontade que a sacia
Seriam tuas mãos maliciosas...

Meus olhos postos em sonho
Te esperavam, príncipe sedutor
Que me arrebataste todo risonho
Me tiraste desse mundo tristonho
E me abraçasse arrebatador!

Nádia Santos
19/09/12

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Languidez



Na magia que envolve a noite
Em sua silenciosa languidez
Quero cair rendida de cansaço
Desfalecer em teus braços outra vez

De amor profundamente suspirar
Esquecendo de vez os queixumes
Sentir meu coração a palpitar
Inebriada por teu louco perfume

E o jardim que tenho em minh'alma
Repleto de botões de rosa carmim
Se abrem, quando olhas para mim...

Encantada minha boca emudece
Acordando minh'alma lasciva
Quando me beijas, sou de ti cativa...

Nádia Santos
São Luis-MA
16/10/12

domingo, 4 de novembro de 2012

Dívida

Tens uma dívida comigo pendente
Quero que pague imediatamente;
Estás devendo uma dúzia de beijos,
Uma dezena de abraços tens pra dar
Quitaremos tudo se cheio de desejo
Nesta noite, loucamente me amar!

Nádia Santos
04/11/12

(A)mar morto

Ontem ao contemplar o entardecer 
Senti medo e um leve estremecer... 
Pois sem ti será sempre triste o poente 
Há um receio de perde-te, uma angústia 
Não despertará em mim desejos ardentes 
E em meus olhos será morta a volúpia.... 

Meu olhar, ofuscado pela tristeza
Procura... e em nada encontra beleza; 
Vejo as flores desbotadas, sem perfumes 
Dos pássaros não escuto seus lindos cantos 
Apenas sons que lembram queixumes 
Fazendo cair dos olhos, dolorido pranto... 

Sem ti minh'alma fica perdida e louca
Vão embora os risos de minha boca! 
Vejo o mar morto, frio e sem encanto 
Sem suas ondas docemente a bailar 
Sem seus beijos, chora a areia desencanto 
Também morta serei eu, sem teu amar...
Nádia Santos
São Luis - MA
03/11/12

sábado, 3 de novembro de 2012

E se eu chorar?

Fecho os olhos querendo dormir e sonhar...
Quem sabe esteja feliz, quando acordar...
Mergulho num silêncio pesado, perturbador
Sinto o corpo tomado por arrepio
Quando passa por mim um vento frio
Me causando medo, um pavor...

Foi vão dormir e sonhar... foi vão...
É preciso encarar a realidade... fraqueza não!
E se eu chorar? Talvez diminua essa dor
E assim mais leve eu possa te dizer
Que toda minha tristeza, esse meu sofrer
É porque não falaste no meu ouvido de amor...

Nádia Santos
São Luis-MA
02/11/12

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Triste(za)

Oh Pai bondoso que estás no céu!
Hoje me cobriu a alma um escuro véu...
Despertou aquela que tento sufocar
Aquela que desdenha da certeza
Aquela que se abraça à incerteza
Que despreza o riso e prefere chorar...

Oh Pai misericordioso quero beber o mel
Afasta de mim, depressa, esse cálice de fel!
Afasta de mim vultos e o mal pensamento
Que estão a me envolver insistente
Não permita que a eles me entregue demente
Faz-me forte para sair desse triste momento!

Não quero alimentar tristes lamentos
Mas eles persistem, num verdadeiro tormento;
Sei que Ele escuta todas as criaturas...
"Não me deixe cair em tentação..."
Vou rogar aos céus, em sentida oração
Para levar de minh'alma as amarguras!

Nádia Santos
São Luis-MA
02/11/12

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Na escuridão, vibra a vida

No silêncio misterioso da madrugada 
Dorme a natureza a esperar a alvorada;
Tudo adormecido, numa aparente calma
Flores exalando os mais intensos perfumes
Pessoas dormem, esquecendo os queixumes
No invisível flutuam iluminadas almas...

A noite está linda... vejo a lua formosa
Sinto em mim chegar uma ânsia ardorosa
Que aos poucos vai me envolvendo
Debaixo da camisola arrepiam os seios
O corpo se agita em ardentes anseios
E em teus braços acabo me perdendo...

Na escuridão, vibra a vida intensamente
Num adormecer e despertar diariamente!
E no silêncio mágico das horas
Em delírio no teu corpo quero morrer
Para feliz e radiante depois renascer
Enquanto chega mansamente a aurora...

Nádia Santos
01-11-12